Doze meses de blog e 12 motivos para amar Madrid

Hoje, 2 de agosto de 2018, o Entre tapas y cañas faz um aninho de vida. Como a protagonista aqui é Madrid, nada mais justo do que uma homenagem de aniversário à minha musa, que divide espaço no meu coração com o Rio (muito amor pelas duas cidades). Neste post especial, listarei 12 razões para visitar Madrid, voltar sempre a Madrid e se apaixonar por Madrid – uma para cada mês do blog.

Top 10 Madrid: atrações imperdíveis

1 – Céu azul e dias longos

Neste ano tivemos um inverno chuvoso, mas a regra por aqui é céu azul o tempo todo. A luz de Madrid é linda e inesquecível! É uma delícia ter o sol como consolo nos meses mais frios – sem contar o alívio que traz. Além disso, os dias são longos durante metade do ano. No fim da primavera e no verão, por exemplo, o sol se põe por volta das 21h40 e só escurece depois das 22h. O nome disso é felicidade!

Azul da cor do céu de Madrid

cibeles
Madrid depois das 22h no verão (Joana Tiso / Entre tapas y cañas)

2 – Muitos parques

Nem todo mundo sabe, mas Madrid tem muitas áreas verdes. Eu amo todos os parques que conheci até agora e tenho uma lista com mais cinco para visitar antes do inverno. Um dos meus favoritos é o Madrid Río, construído às margens do Rio Manzanares. O parque abriu definitivamente em 2011, numa área que era antes ocupada por uma rodovia. Tem vários quilômetros de extensão e, se você fizer uma boa caminhada, vai acompanhar as mudanças na paisagem de um bairro para o outro.

Dica: pare para tomar algo na terraza do Café del Río, com uma das vistas mais bonitas da cidade.

Já o parque mais central e famoso é o Retiro: lindo, enorme e imperdível. Agora, se o objetivo for contemplar o pôr do sol espetacular de Madrid, vá até o Templo de Debod, pertinho da Plaza de España, ou ao Cerro del Tío Pío, mais conhecido como Parque de las Siete Tetas, em Puente de Vallecas.

Roteiro de primavera em Madrid

img_9730
Siete tetas (Joana Tiso / Entre tapas y cañas)

3 – Muitos bares e muitas terrazas

A Espanha tem a maior proporção de bares por habitante do mundo. Bebe-se muito por aqui e a capital não foge à regra. Madrid é a cidade com mais bares do país – de todos os tipos, desde botecos centenários (e que se mantêm iguais desde sempre, geração após geração) até rooftops dos hotéis mais badalados da capital.

Os madrilenhos adoram beber ao ar livre, principalmente nos meses mais quentes, então não faltam terrazas por aqui. São, atualmente, 4.876 terrazas de bares y restaurantes – três vezes mais do que havia em 2009. Algumas têm vistas lindas e são disputadíssimas durante o pôr do sol.

Sugestões: Las Vistillas, terraza do restaurante El Ventorillo, perto do Palácio Real, e as azoteas (coberturas) do restaurante El Viajero, no boêmio bairro La Latina, e do Círculo de Bellas Artes, com vista para a Gran Vía.

Roteiro de verão em Madrid

bdaa9ac2-4934-4b90-bb37-b31dda7b9470-1
Las Vistillas (Joana Tiso / Entre tapas y cañas)

4 – Muitos mercados

Há mercados para todos os gostos em Madrid. São muitos e maravilhosos! Alguns têm terrazas, como o San Antón, em Chueca, nosso bairro gay, e o San Ildefonso, em Malasaña – o meu preferido e uma boa opção para quem quer provar as tapas da Espanha (e do mundo, pois há comidas de vários países).

Platea, em frente à Plaza de Colón, é o mercado “glamour” de Madrid. Já o San Miguel é o favorito dos turistas e fica colado na Plaza Mayor. Tem também mercado oriental (Yatai Market), mercado natureba (El Huerto de Lucas) e por aí vai.

Roteiro de inverno em Madrid

ildefonso
San Ildefonso (Joana Tiso / Entre tapas y cañas)

5 – Festas de rua

Madrid é uma cidade festeira e que dorme tarde. Aqui é comum sair para jantar às 23h, depois emendar um bar no outro e chegar a uma boate lá pelas 3h, por exemplo. Além disso, o madrilenho adora festas de rua. São várias ao longo do ano, principalmente na primavera e no verão. As minhas favoritas são as Fiestas de San Isidro (maio), o padroeiro de Madrid, e a Verbena de La Paloma (agosto).

Festas em homenagem a San Isidro

sanisidro
San Isidro (Joana Tiso / Entre tapas y cañas)

6 – Vinhos bons e baratos

Espanha tem ótimos vinhos e muitos deles são baratos. E Madrid tem belas e aconchegantes tabernas, onde o vinho é protagonista. El Tempranillo, em La Latina, bairro boêmio do centro de Madrid, é uma ótima pedida para o combo vinhos e tapas (deliciosas), num ambiente agradável e acolhedor. Na verdade, você encontra vinho em qualquer boteco e em qualquer esquina da capital. Eu costumo pagar entre 2,50 e 3,50 euros pela taça.

La Latina é amor e boemia

Terraza com vinho, um clássico de Madrid (Joana Tiso / Entre tapas y cañas)

7 – Cultura acessível

Todos os principais museus de Madrid têm dias ou horários de entrada gratuita. Além disso, há centro culturais que favorecem o acesso à cultura, como La Casa Encendida (em Lavapiés) e Matadero (em Legazpi), o mais badalado da capital. O espaço foi de fato um matadouro durante parte do século XX. Hoje em dia abriga salas de exposições, filmes (a Cineteca é linda), cursos e muito mais – mantendo bastante da arquitetura original de seus pavilhões e com entrada livre.

Aviso: algumas atividades são pagas, então é bom confirmar no site oficial.

Programas grátis e ao ar livre no verão

img_9704
Matadero (Joana Tiso / Entre tapas y cañas)

8 – Vida tranquila numa cidade com mil de ofertas

Madrid é uma cidade grande com um ritmo próprio. Dificilmente você vai cruzar com gente correndo na rua, tropeçando na escada do metrô ou estressada ao volante. O clima é leve. E isso reflete na forma como as pessoas lidam com o trabalho também. Não é comum ficar até tarde no escritório e fazer mil horas extras (há exceções, claro).

O madrilenho valoriza muito o chope pós-expediente. É sagrado por aqui. O lema é trabalhar durante umas oito horas por dia para ter qualidade de vida e curtir o que resta de sol antes de voltar para casa. Não me parece mesmo um povo workaholic e que viva para o trabalho. Os momentos de lazer são indispensáveis em Madrid.

E não faltam ofertas do que fazer. Eu costumo escrever no blog que toda semana tem alguma novidade em Madrid (e mil planos para o fim de semana). Não é exagero. Mesmo domingo, que costuma ser um dia morto em muitas cidades europeias, é agitadíssimo por aqui.

Roteiro para um domingo animado em Madrid

9 – Multicultural e inclusiva

Madrid abrigou com enorme sucesso o World Pride em 2017 e aproveitou para mostrar ao mundo sua faceta acolhedora, tolerante, inclusiva e livre. Num momento em que países e capitais da Europa fecham a cara para os imigrantes, Madrid está mais multicultural do que nunca.

A cidade vem refletindo a proposta de governo de sua prefeita, Manuela Carmena, eleita em 2015 pelo Ahora Madrid, que reuniu partidos de esquerda e movimentos sociais. A vitória de Carmena pôs fim à hegemonia do PP, partido conservador que comandou a capital por décadas.

Desde que elegeu sua prefeita, Madrid abriu as portas para os refugiados, instalou sinais de trânsito com imagens de mulheres e de casais do mesmo sexo, apresentou um rei Baltasar negro – sem blackface pela primeira vez – e com trajes tipicamente africanos na tradicional Cabalgata de los Reyes, entre outras transformações que dão cada vez mais pluralidade à capital. Escrevi sobre o tema neste post.

Para quem vem a Madrid e quer explorar seu lado multicultural, sugiro um passeio por Lavapiés, que acolhe imigrantes de todos os continentes. O bairro é cheio de ruas politizadas e coloridas – não há região com mais arte urbana – e de centros culturais okupados e autogerenciados, como La Tabacalera, além de restaurantes étnicos aos montes.

Arte, política e boemia no bairro mais multicultural de Madrid

refugees
Palacio de Cibeles (Joana Tiso / Entre tapas y cañas)

10 – Capital cheia de história

A arquitetura de Madrid é repleta de história. Muitos edifícios do centro são centenários e mantêm a sua arquitetura original, como o Metrópolis, situado entre Alcalá e Gran Vía (em seu início) e um dos cartões-postais de Madrid.

Depois de bater perna pela Gran Vía, sugiro um passeio na Plaza Mayor, que completou 400 anos em plena forma, e na Plaza de la Villa, onde Madrid medieval sobrevive. É um lugar cheio de história e muito bem conservado.

Além disso, os espaços obsoletos são sempre reaproveitados (em geral, mantendo sua arquitetura) e de repente surge alguma novidade onde você menos imagina. É o caso do Matadero, hoje centro cultural e antes matadouro e mercado de gado.

Gran Vía: história e renovação

granvia_metropolis
Edifício Metrópolis (Joana Tiso / Entre tapas y cañas)

11 – Melhorias constantes e qualidade de vida

Quem mora em Madrid pode estar cansado de tanta obra, principalmente no centro. Mas as melhorias são logo sentidas e todas têm como foco a nossa qualidade de vida: calçadas maiores, novos espaços culturais, praças revitalizadas, ampliação das linhas no metrô… Atualmente, a Gran Vía, avenida no coração de Madrid, está em obra para priorizar pedestres e ciclistas. Saiba mais aqui.

Todo ano a revista britânica Monocle elabora uma lista com as 25 melhores cidades do mundo para viver. Madrid ficou com o sétimo lugar em 2018, à frente de Amsterdam, Paris, Lisboa, Barcelona etc. O critério usado é a qualidade de vida, incluindo aspectos como segurança, transporte público e tolerância. A revista justificou a presença de Madrid no topo da lista destacando a mescla cultural e a vibrante oferta de arte e lazer por aqui.

Madrid entre as melhores cidades do mundo para viver

12 – Futebol

Madrid tem o maior campeão da Champions League e da LaLiga, a primeira divisão do futebol espanhol. Se o critério for títulos, o Real Madrid é imbatível. Além disso, a cidade tem outro clube grande, o Atlético de Madrid, com a terceira maior torcida do país. Se você passear pelas ruas da capital, vai ficar impressionado com o tanto de torcedor do Atlético (são os mais fanáticos). O madrilenho adora futebol, inclusive as crianças.

Quem vier a Madrid poderá assistir aos jogos nos estádios (Santiago Bernabéu, do Real, e Wanda Metropolitano, a nova casa do Atleti) ou nos vários bares do centro. Os dois principais clubes da cidade também oferecem tours aos visitantes.

Nesta temporada (2018-2019), a Comunidade de Madrid terá cinco representantes na primeira divisão pela primeira vez e será a região com mais clubes no torneio: Atlético de Madrid, Real Madrid, Getafe, Leganés e Rayo Vallecano (que acabou de subir e é da capital). Ou seja, futebol não falta por aqui!

Maiores torcidas da Espanha e outras curiosidades

img_1450
Santiago Bernabéu, estádio do Real Madrid (Joana Tiso / Entre tapas y cañas)

Leia também:

Roteiro de dois dias no centro de Madrid

Quatro roteiros de Madrid

Conexão em Madrid: o que fazer nas horas livres

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.