Tradições de Natal e Réveillon em Madrid

Natal na Gran Vía
Natal na Gran Vía em 2017 (Joana Tiso / Entre tapas y cañas)

Este é meu terceiro fim de ano em Madrid. No primeiro, não dei muita bola para as tradições de Natal e Réveillon por aqui, mas depois decidi apurar e aprender um pouco mais sobre os costumes da minha nova cidade.

* Atualizado em 2018.

Navidad

O Natal, que eles chamam de Navidad, não é muito diferente do brasileiro. É comum fazer uma ceia com a família no dia 24, na Nochebuena, e muitos almoçam juntos no dia 25 também.

Nunca estive numa ceia tipicamente madrilenha, mas sei que comer peru não é uma regra por aqui. Pescado, jamón (presunto) e vinho, por outro lado, não costumam faltar. Um ingrediente muito comum no Natal é a lombarda, uma espécie de repolho roxo. Os doces natalinos também ganham destaque, como os turrones.

Os presentes chegam com “atraso” em Madrid. Na tradição espanhola, são os Reis Magos que trazem os regalos, só no dia 6 de janeiro, e não o Papai Noel. Mas, na prática, este é um costume que vem perdendo força aos poucos. Já há famílias que trocam presentes no dia 24 ou 25.

Uma observação: dia 6 de janeiro é feriado por aqui, día de Reyes, e a cidade costuma parar na véspera para acompanhar a Cabalgata de los Reyes Magos, desfile que arrasta uma multidão para as ruas e gera mais expectativa do que Natal e Revéillon juntos.

Curiosidades natalinas

presepio_centrocentro
Belenes del CentroCentro (divulgação)

Há árvores de Natal em Madrid, inclusive aquelas grandes e brilhantes nas ruas (a mais famosa e aguardada é a da Puerta del Sol), mas os presépios parecem fazer mais sucesso. Alguns ficam expostos em diferentes pontos da cidade no fim do ano, como no CentroCentro, espaço cultural do Palacio de Cibeles, sede da prefeitura. Se você vir uma fila inesperada em dezembro, é possível que seja para uma exposição de presépios (belenes aqui).

Agora, se você quiser comprar um presépio, a melhor opção é passar no Mercado de Navidad de la Plaza Mayor, com mais de cem barraquinhas e tudo quanto é enfeite natalino à venda.

A decoração de Natal começa a colorir a cidade no fim de novembro. A prefeitura comunica o dia e a hora em que as luzes são acesas e muita gente vai para as ruas acompanhar o início simbólico do Natal. Neste ano rolou no dia 23 de novembro. Eu fui e gostei bastante. Aliás, veja esta e outras dicas neste post.

naviluz
Naviluz (divulgação)

Para quem realmente curte decoração natalina, minha sugestão é pegar o Naviluz, um ônibus que percorre muitas das ruas que mudam de cara para receber o Natal. O trajeto dura de 40 a 50 minutos, com início e fim na Plaza de Colón, e o bilhete custa 4 euros.

Aviso: é bom comprar logo que abre a venda (apenas online), pois esgota rapidamente. Os ingressos para este ano já acabaram, então agora só no fim de 2019.

Outro clássico do Natal madrilenho é a Cortylandia, decoração natalina do Corte Inglés de Preciados-Callao na fachada da Calle Maestro Victoria. Cada ano tem um tema diferente e sempre atrai uma galera, formada em sua maioria por crianças. Depois de passar na Cortylandia, as famílias madrilenhas costumam seguir para as chocolaterias Valor e San Ginés, onde encaram um belo prato de churros com chocolate quente.

E, se você mora em Madrid, é provável que já tenha ouvido falar em El Gordo, a nossa loteria de Natal. Os espanhóis sempre param para ver o sorteio na televisão. Aliás, a lotérica mais famosa da cidade é a Doña Manolita, que fica na Calle del Carmen, entre Sol e Callao, e impressiona pelas filas enormes todos os anos.

Nochevieja

img_7569
Puerta del Sol (Joana Tiso / Entre tapas y cañas)

Pelo que pude observar, não há muitas superstições por aqui na virada do ano, que eles chamam de Nochevieja. Ao contrário do Brasil, em Madrid ninguém usa roupa branca, até porque faz muito frio na noite no dia 31. Em geral, as pessoas vestem roupas escuras. Vi muita gente de preto, inclusive.

A principal tradição é comer 12 uvas quando tocam as 12 badaladas da virada. Reza a lenda que traz sorte. O programa mais clássico é se reunir na Puerta del Sol, que fica lotadíssima (e com longas filas). Eu ainda não dei conta de encarar o mundaréu de gente nem de esperar quase três horas para entrar.

Depois o povo segue para as festas e boates da capital. O madrilenho é festeiro mesmo nos dias mais frios. Há quem prefira reunir um grupo de amigos em casa mesmo, já que tudo é bem mais caro e cheio no Réveillon.

¡Felices fiestas, amigos! =)

3 comentários Adicione o seu

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.