60 fatos sobre a Espanha

Já me peguei várias vezes comparando características do Brasil e da Espanha. E, às vezes, me divirto com tradições espanholas que parecem bem inusitadas para os brasileiros. Fiz três textos sobre costumes madrilenhos aqui no blog, mas desta vez decidi juntar 60 fatos aleatórios do país e da capital (eram 30 no início, mas acabei me empolgando).

Na verdade, nem todos são fatos. Em alguns casos, são percepções mesmo. De todo modo, quem já morou na Espanha vai reconhecer ao menos alguns itens.

1 – Há uma controvérsia que atravessa os tempos na Espanha: tortilla com cebola x tortilla sem cebola. O tema rende debates acalorados, agora também nas redes sociais, e as opiniões são sempre muito radicais. Sou apaixonada por tortilla de batata e como dos dois jeitos, mas confesso que prefiro com cebola.

2 – Os espanhóis adoram uma mesa-redonda na TV, mesmo que seja para debater fofoca e reality show (quem sou eu para julgar hahaha).

3 – Eles ainda usam “negro” para designar algo ruim. Esses dias mesmo li na imprensa: “La semana negra del PP”. No Brasil já há uma consciência maior nesse sentido e um início de mudança. Comentei sobre essa questão numa aula em Madrid e ninguém entendeu bem por que deveria parar de usar “negro” em contextos ruins (só a outra brasileira da turma).

4 – Na Espanha, é tradição que o aniversariante pague ao menos uma rodada de bebida para os convidados. É também o aniversariante que leva os docinhos para comemorar no trabalho.

5 – A legalização da maconha ainda é um tema polêmico na Espanha, mas o autocultivo é permitido e tem associações de maconha em Madrid (prometo um post sobre isso).

6 – O centro de Madrid está sempre em obras.

7 – Embora o Real Madrid tenha a maior torcida da Espanha, é mais comum ver camisas do Atlético de Madrid nas ruas da capital, principalmente fora das zonas turísticas. A torcida do Atleti é mais raiz e animada.

8 – Por sinal, a arquibancada do Real Madrid é bem desanimada, até porque recebe muitos turistas. Reza a lenda que o clube até paga para uma parte da torcida cantar durante os jogos.

9 – Tem um clube em Madrid que mistura duas das minhas paixões: futebol e política. O Rayo Vallecano é conhecido por sua torcida de esquerda, formada em geral por trabalhadores, e engajada em questões socais, como a luta contra o racismo e o fascismo. Vale um post, com certeza!

10 – O movimento feminista é bem forte em Madrid.

11 – A tourada não é nem de longe unanimidade na Espanha atual. Embora a tradição seja considerada patrimônio histórico e cultural do país, hoje em dia é questionada por muitos espanhóis e chegou a ser proibida na Catalunha. A legislação nacional não permite mais a proibição, mas pelo menos agora há mais regras com relação a maus-tratos. De toda forma, a Catalunha continua não recebendo touradas.

12 – O café espanhol é ruim. Li que costumam adicionar açúcar quando o café é torrado.

13 – Os espanhóis gostam de tomar café com leite condensado. Aqui se chama café bombón. O leite condensado fica no fundo, com o café em cima, e geralmente é servido numa xícara de vidro. Assim dá pra ver o efeito das cores juntas. Fica bem doce, mas eu gosto.

14 – Já o vinho nacional é muito bom e em conta. Se você estiver no centro, entre no Corte Inglés do Sol e desça até o supermercado. Lá tem muitos vinhos espanhóis e os preços não assustam. Mesmo.

15 – Os espanhóis adoram tomar vermute  como aperitivo.

16 – Claro que os gostos variam de região para região, mas a bebida favorita no país é mesmo a cerveja.

17 – É comum tomar um segundo café da manhã nas cafeterias e nos bares de toda la vida por volta das 11h, ao menos em Madrid. Geralmente tortilla ou pão com tomate. Se você chegar cerca das 12h a um desses restaurantes que ficam abertos o dia inteiro, como o VIPS, provavelmente vão te servir o cardápio do café e não do almoço.

18 – Isso porque os madrilenhos acordam tarde, almoçam tarde, jantam tarde e dormem tarde (amo muito tudo isso).

19 – Eles tanto dormem tarde que alguns programas com boa audiência e repercussão, como Operación Triunfo (tipo o antigo Fama do Brasil) e Masterchef, terminam lá pra 1h da manhã.

20 – A siesta existe de fato e ajuda a entender esses horários peculiares da Espanha. A tradição não é percebida no centro das cidades mais turísticas, mas faz parte da cultura e da rotina dos espanhóis. Em Madrid, boa parte do comércio de rua fecha, em geral das 14h às 17h, para um descanso. Depois os locais reabrem e funcionam até umas 20h – alguns comerciantes mantêm as portas abertas até as 22h. Já os restaurantes costumam fechar às 16h e reabrir às 20h. Saiba mais!

21 – É comum ver um monte de guardanapo usado no chão dos bares e das cafeterias.

22 – Além do espanhol, há línguas cooficiais, ou seja, oficiais em determinadas comunidades autônomas, e vários dialetos no país. O segundo idioma mais falado na Espanha é o catalão, que você pode conhecer assistindo à série Merlí (perfeita e disponível na Netflix). O idioma mais diferente de todos e que não tem nada a ver com o latim é o euskera, falado no Pais Basco e em parte de Navarra. Já o galego é bem parecido com o português. É a língua oficial da Galícia, região vizinha de Portugal. Esses são só alguns exemplos.

23 – Em Madrid, só se fala espanhol e os madrilenhos acham que não têm sotaque, mas têm. O sotaque mais forte e facilmente reconhecível da Espanha é o andaluz.

24 – Os madrilenhos não pronunciam Madri nem Madrid. Eles chamam a cidade de Madriz.

25 – E os madrilenhos são chamados de gatos (como um apelido).

26 – Muito menos do que antes, mas os espanhóis ainda são fechados na própria cultura. Resquício de uma ditadura altamente nacionalista.

27 – É bem comum ver filmes e séries dublados na Espanha. Na verdade, é difícil achar espanhol que prefira ver com legenda. A maioria dos cinemas nem sequer passa filmes legendados. Como muitos brasileiros preferem a versão com legenda, é bom olhar se tem a opção VOSE (versión original subtitulada en español) no cinema ou na sala que você escolher.

28 – Como vocês já podem imaginar, Lost é Perdidos, Game of Thrones é Juego de tronos, Handmaid’s Tale é El cuento de la criada etc.

29 – Os espanhóis também costumam traduzir nomes. Em alguns textos, Karl Marx vira Carlos Marx. Príncipe William é Príncipe Guillermo na imprensa. E por aí vai…

30 – O sistema político da Espanha é monarquia parlamentarista. Portanto, são os deputados eleitos  pela população que votam para definir o presidente do governo. Contei melhor neste post.

31 – O rei é o chefe de estado espanhol. Inclusive, o rei emérito, Juan Carlos I, pai do atual Rey Felipe VI, fugiu da Espanha por conta de um escândalo de corrupção.

32 – Antes a Espanha era praticamente bipartidarista e revezava entre PSOE (à esquerda) e PP (à direita). Hoje em dia o Congresso está tão fragmentado que foram necessárias quatro eleições gerais em quatro anos para conseguir uma maioria capaz de escolher o novo presidente do governo.

33 – O país tem, pela primeira vez desde que a democracia foi restabelecida, um governo de coalização. Embora o PSOE tenha conseguido uma maioria progressista no Congresso para eleger Pedro Sánchez, o terceiro partido com mais cadeiras atualmente é neofascista (Vox).

34 – Os movimentos independentistas fazem parte da história da Espanha e o da Catalunha voltou a ganhar força nos últimos anos. Ao mesmo tempo, o nacionalismo espanhol ressurgiu como resposta, inclusive em Madrid, onde o Vox cresceu rapidamente. Por isso, é comum ver bandeiras do país em janelas da capital.

35 – Eu noto um complexo de inferioridade dos espanhóis em relação aos países mais ao norte da Europa, mas eles gostam de tirar onda com Portugal.

36 – Espanhóis e portugueses são bem mais parecidos do que eles imaginam.

37 – A burocracia é um fato inegável na Espanha e, para piorar, é difícil encontrar informações precisas, principalmente nos sites.

38 – Os espanhóis ainda fumam bastante.

39 – O verão é tão seco e quente em Madrid que os moradores costumam tomar café com gelo.

40 – Madrid se adapta melhor ao inverno do que ao verão. É muito comum ver residências e estabelecimentos com calefação, mas com ar-condicionado nem tanto. E, quando tem, não é lá muito perceptível. Fato que os madrilenhos não são muito fãs de ar, nosso melhor amigo no Rio de Janeiro.

41 – Em agosto, no auge do verão, Madrid fica vazia e vários estabelecimentos fecham as portas para férias coletivas. Inclusive consultórios médicos. Os madrilenhos costumam fugir do calorão seco da capital para a praia ou a serra.

42 – Por outro lado, a capital bomba no fim do ano e o centro fica tão lotado que é difícil caminhar por ali.

43 – Neva uma vez por ano em Madrid e olhe lá. Como não acontece com frequência, as pessoas se avisam e registram em fotos e vídeos.

44 – A primavera é muito esperada e festejada depois de um longo inverno, mas sempre rola um surto coletivo de alergia nesta época.

45 – A numeração nas ruas é bem confusa em Madrid. Pelo que observei, o número dos estabelecimentos comerciais não fica exposto, só o das residências. Seja como for, eu sempre me perco. Sempre.

46 – Madrid foi reconhecida mundialmente por sua arborização urbana.

47 – Madrid tem um bairro gay, Chueca, e a semana do Orgullo Gay faz parte do calendário oficial da cidade (e é sempre maravilhosa).

48 – Existem dois começos de ano na Espanha. Isso porque as férias grandes rolam no meio do ano, quando os espanhóis costumam viajar. Em setembro, as famílias voltam para casa e o ano letivo tem início. Neste período, geralmente ainda em agosto, começa também a temporada do futebol. Então é como se o ano recomeçasse de fato.

49 – Os presentes de Natal chegam com “atraso”. Na tradição espanhola, são os Reis Magos que levam os regalos, só no dia 6 de janeiro, e não o Papai Noel.

50 – Aliás, 6 de janeiro é feriado na Espanha, Día de Reyes, e Madrid costuma parar na véspera para acompanhar a Cabalgata de los Reyes Magos, desfile que arrasta uma multidão para as ruas e gera mais expectativa do que Natal e Revéillon juntos. A cobertura na TV é como a do Carnaval do Rio.

51 – Os madrilenhos se gabam de ter a melhor água do país e bebem direto da torneira, tanto em casa quanto nos bares e restaurantes.

52 – Há duas temporadas de rebajas (promoções) no país, uma no inverno e outra no verão. Os descontos são bem expressivos e não só nas lojas de roupa. O curioso é que algumas roupas entram na moda durante as rebajas e é comum cruzar com gente usando o mesmo que eu nas ruas de Madrid.

53 – Falando nisso, os homens mais jovens costumam usar roupas bem justas, inclusive calças, e as mulheres gostam de roupas um pouco mais larguinhas.

54 – Embora tenham uma relação forte com a comida e comam muita fritura, por exemplo, os espanhóis costumam ser magros. Já li que a obesidade está aumentando no país, mas eu não percebo ainda nas ruas de Madrid. Talvez porque a dieta mediterrânea tenha pontos altos, como o consumo frequente de pescados, e os madrilenhos tenham o hábito de caminhar.

55 – Inclusive, um clássico de Madrid é: “Melhor ir a pé, fica bem pertinho”. Só que o pertinho dura pelo menos 40 minutos andando.

56 – Em Madrid, se come muito mais peixe, carne de porco e frango do que carne vermelha.

57 – Na Espanha, assim como em outros países europeus, é bem mais comum deixar gorjeta (propina em espanhol) do que no Brasil. As contas dos restaurantes não vêm com os 10% do serviço – o IVA, imposto presente nas contas, não tem nada a ver com isso. Só que os espanhóis não têm fama de deixar boas gorjetas, não.

58 – A dança mais tradicional de Madrid é o chotís, não o flamenco, e você pode conhecê-la nas festas de rua da capital, principalmente no feriado de San Isidro. Durante essas festas, Madrid fica com cara de interior.

59 – Os madrilenhos são bem mais animados e festeiros do que os catalães.

60 – Tem muitos gêmeos na Espanha. Inclusive, é bem comum ver aquele carrinho duplo de bebê nas ruas.

2 comentários Adicione o seu

  1. Otávio disse:

    Esse texto até me deixou com saudades deste lugar maravilhoso que nunca fui…

    1. Joana Tiso disse:

      Viu o item sobre cerveja? 🙂

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.