Atividades paralelas (e gratuitas) no Reina Sofía

img_7417
Foto: Joana Tiso / Entre tapas y cañas

Hoje, 18 de maio, é Dia Internacional dos Museus. Para comemorar a data, vários museus de Madrid oferecem entrada gratuita e horas de atividades paralelas. É o caso do Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía (saiba mais), o meu preferido da capital.

Neste post, convidei Ivan Ramos, que é produtor cultural e mora em Madrid há um ano e meio, para contar o que rola no Reina Sofía além da coleção permanente e de suas exposições – não só hoje, mas o ano inteiro.

Paseo del Arte: dicas e roteiro

O Reina Sofía é um dos museus mais importantes da Europa e não pode ficar fora do roteiro cultural de quem passa por aqui. Porém, a programação vai muito além das exposições. O museu disponibiliza um rol extenso de atividades paralelas durante todo o ano. É possível conferir espetáculos de música, dança, performances, seminários, conferências e até sessões de cinema. A curadoria é de altíssimo nível e, para ficar ainda melhor, boa parte das atividades é gratuita e realizada em um dos edifícios mais bonitos e singulares de Madrid: o Edifício Nouvel.

O nome do edifício faz referência ao arquiteto francês Jean Nouvel, que ganhou um concurso internacional para a realização do projeto em 1999. Trata-se de uma construção vanguardista que oferece um belo contraste com o Edifício Sabatini, construído no século XVIII. Duas estruturas de aço laminado e vidro abrigam a biblioteca e as salas de exposições temporárias e, entre elas, há um auditório para 200 pessoas.

Na praça construída em frente ao edifício existe uma escultura monumental do artista americano Roy Lichtenstein, chamada Brushstroke, que fez parte da exposição antológica “Roy Lichtenstein. All About Art”, realizada em 2004 pelo museu. O terraço é um espetáculo à parte e oferece uma das vistas mais incríveis de Madrid. Imperdível.

Selecionei alguns eventos para que vocês possam colocar na agenda, mas toda a programação está disponível neste link.

edificio_nouvel_-_fachada_1_0Música

A Orquesta y Coro Nacionales de España (OCNE), com o objetivo de atrair novos públicos para a música clássica e contemporânea, oferece miniconcertos em colaboração com o Museu Reina Sofía. Em cada data são oferecidos dois concertos, para os quais são necessários ingressos independentes.

O meu destaque vai para o miniconcerto número 5, em que serão apresentadas composições de Philip Glass, Arvo Pä e Bach. A entrada na bilheteria sai por 10 euros, mas comprando antecipadamente pela internet sai pela metade do preço. Este concerto será realizado no dia 1º de junho, às 19h30, no auditório 400 do Edifício Nouvel. Saiba mais aqui.

Cinema

A imagem revoltada:

O desafio ao poder mobilizado nas manifestações de Maio de 1968 na França foi, em grande parte, impulsionado pela potência subversiva do encontro horizontal entre identidades e âmbitos que a sociedade mantinha separados, pela tomada da palavra coletiva e pelo questionamento a qualquer forma de representação, fosse esta política, cultural, midiática ou sindical.

Os curtas-metragens, que serão apresentados no Reina Sofía, propõem uma aproximação com as práticas cinematográficas anônimas e coletivas que surgem em Maio de 68, mas também são uma forma de interrogar o próprio acontecimento em seu aniversário de 50 anos.

Recomendo a sessão número 6, no dia 24 de maio, em que serão exibidos os curta-metragens de Jean-Marie Straub e de Sylvain George, que evidenciam as continuidades e rupturas entre os ciné-tracts de Maio de 68 e o presente. Os ciné-tracts são filmes anônimos de curta duração (aproximadamente 3 minutos) em 16mm, sem som, embalados pela verve militante reintroduzida na França pelo Maio de 68.

Todas as exibições são realizadas no auditório do Edificio Sabatini, às 19h, com entrada gratuita. Mais detalhes aqui.

Dança

No espetáculo “Loie Fuller: Research”, a coreógrafa Ola Maciejewska apropria-se criticamente do “vestido dançante” inventado por Loie Fuller (Illinois, 1862 – París, 1928), uma das artistas da dança mais inovadoras e conhecidas do modernismo. Após a apresentação, dia 26 de maio, será realizado um bate-papo com a artista, às 18h, no auditório do Edifício Sabatini, para que o público possa ter mais detalhes sobre o processo criativo da montagem.

A entrada para o espetáculo é franca e os ingressos poderão ser retirados na bilheteria do museu a partir do dia 24 de maio. Será realizado na sala 102 do mesmo edifício, às 12h. Mais informações aqui.

Conferências

Novos materialismos:

Série de conferências realizadas em parceria com a Universidade Autónoma e a Universidade Complutense de Madrid. Trata-se de pensar como as transformações da materialidade influenciaram as formas de colecionar, arquivar e exibir objetos e como as fronteiras entre objetos inertes e corpos vivos foram borradas a partir de uma perspectiva pós-humanista sobre as formas de trabalho criativo, que são generalizadas no mundo pós-industrial, bem como no potencial disruptivo da magia e do ritual em face à lógica tecnocrática e ao crescente interesse pela fisicalidade dos artefatos culturais.

Há duas conferências nas próximas semanas: uma com Jesús Vega, dia 23 de maio, às 19h, no auditório do Edifício Sabatino, e outra com Michael Taussig, dia 11 de junho, às 19h, no auditório 200 do Edifício Nouvel. Entrada gratuita. Mais informações aqui.

Seis contradições e o fim do presente:

Este seminário, que engloba conferências, exibições de filmes e oficinas. explora como o capitalismo contemporâneo, em sua acelerada intensificação e capacidade para absorver e produzir aspectos da vida privada, funciona mediante a contradição como mecanismo de regulação e adaptação. Não se trata somente do desaparecimento do futuro da imaginação social, mas da fragmentação do presente que se encontra dobrado sobre si mesmo. A ideia é fornecer ferramentas críticas para esclarecer este sequestro do tempo presente e para re-imaginar um horizonte de transformação.

Destaque para a conferência de Tiziana Terranova e Trebor Scholz, que será realizada no dia 10 de setembro, às 19h, no auditório 200 do Edifício Sabatini. A entrada é gratuita. Os conferencistas também vão dar uma oficina gratuita no dia 11 de setembro, às 11h, no centro de estudos do Edificio Nouvel. É necessário se inscrever por email. Mais informações aqui.

* Ivan Ramos é brasileiro, produtor cultural e mora em Madrid há um ano e meio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.