Como Madrid reage ao avanço do coronavírus

Não estou na Espanha, mas tenho acompanhado o noticiário sobre a rápida expansão do novo coronavírus (Covid-19) no país. Nada que se compare ao que acontece na Itália, mas já são mais de 7.750 casos na Espanha. Madrid é a comunidade mais afetada com sobras, seguida pelo País Vasco, ambas consideradas zonas de risco. Mais de 3.540 pessoas foram infectadas na Comunidad de Madrid, ou seja, quase metade dos casos no país, e 213 das 288 mortes aconteceram na região. Números atualizados em 15/03.

Domingo passado, dia 8 de marco, havia cerca de 600 infectados e 17 mortos na Espanha. No dia seguinte, o número de doentes duplicou. Uma semana depois, os 600 casos viraram quase 8 mil.

Parece que ninguém esperava que chegasse a esse ponto e foram poucas as medidas de prevenção. Com o avanço desenfreado da doença em apenas uma semana e hospitais sobrecarregados, as autoridades impuseram mudanças. Num cenário ideal, com todas as novas medidas funcionando, a previsão é controlar a epidemia em dois meses. Na pior das hipóteses, pode demorar quatro ou cinco meses.

A decisão do governo que chamou mais a atenção dos madrilenhos, num primeiro momento, foi a suspensão das aulas em todos os níveis educativos da Comunidad de Madrid.

Logo depois, o Ministério da Cultura fechou os museus de Madrid, inclusive o Prado, o mais importante do país. É a primeira vez que a instituição fecha suas portas desde a Guerra Civil. A prefeitura ordenou que todos os centros culturais e esportivos, os teatros e as bibliotecas da cidade também fossem fechados.

Restaurantes e bares já não abrem mais. As partidas de futebol e de outros esportes foram adiadas. Aos poucos, Madrid foi ficando deserta.

Agora os exames são realizados em todas as pessoas que apresentam sintomas em Madrid. Portanto, se você sentir algo suspeito (dificuldade para respirar, tosse seca, febre, dor de garganta e/ou congestão nasal), ligue para o telefone de emergência nacional (112) ou local (900102112). Tenha paciência, porque são muitas pessoas ligando ao mesmo tempo.

O exame será feito em casa ou onde você estiver hospedado. Caso dê positivo, mas com sintomas leves, a solução é o isolamento mesmo – o que acontece em cerca de 80% dos casos em Madrid. Mas, se forem graves os sintomas, será necessário dar entrada no hospital (os públicos estão bem cheios).

O cuidado é redobrado com os idosos, que são muitos em Madrid e os que correm mais risco de morte com a doença.

ATUALIZAÇÃO: Agora toda a Espanha está em quarentena para frear a contaminação do novo coronavírus. Só é possível sair de casa em situações especiais, como para comprar comida e remédio, ir ao centro médico ou trabalhar, quando for inevitável. A recomendação do governo é trabalhar de casa, como tem feito a maioria dos madrilenhos.

Como se sentem os moradores

O que eu percebia é que ninguém dava bola para o coronavírus até a primeira semana de março e todos tentavam seguir a vida normalmente. Tanto que muitas amigas foram à tradicional e emblemática manifestação 8M no Dia internacional da mulher. O protesto reuniu 120 mil pessoas, o que é bastante numa cidade que já tinha taxas cada vez maiores de infecção.

O Vox, partido de ultradireita, juntou 9 mil pessoas num ato também no dia 8, em que esteve presente o deputado e secretário geral da legenda, Javier Ortega Smith. A questão é que dias depois ele deu positivo no teste de coronavírus. O Congresso suspendeu suas atividades em seguida.

Agora tem bastante gente assustada e falando em ir ao supermercado comprar comida e papel higiênico para as próximas semanas ou meses. Inclusive, os mercados já estão com menos itens do que o normal.

ATUALIZAÇÃOMeu namorado e todos os nossos amigos estão isolados em casa e cumprindo as ordens das autoridades. Saem apenas para mercado e farmácia (ou rapidamente com os cachorros).

Quando ir a Madrid?

Algumas pessoas me perguntaram se devem desmarcar viagens nas próximas semanas. Esta é uma decisão muito pessoal. Eu volto para Madrid em abril, mas moro lá e tenho uma vida me esperando. Não iria para passear no contexto atual. Meu conselho é: deixe a viagem para depois.

Pelo visto, esta tem sido a escolha da maioria dos turistas. Se for o seu caso, verifique os termos de alteração e cancelamento. Apurei que tem sido tranquilo mudar passagens com as companhias aéreas. É mais fácil cancelar voo e hospedagem quando há medidas restritivas no destino.

OBSERVAÇÃO: A última parte do texto foi escrita antes do início da quarentena na Espanha. Portanto, ir a Madrid ou a qualquer cidade do país agora é impossível. Talvez seja viável no verão, mas isso é um chute. Acompanhe o noticiário local e as medidas do governo em relação ao coronavírus e transfira a viagem para o segundo semestre.

CRÉDITO DA FOTO: EUROPA PRESS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.